Fretados em São Paulo – restrição e polêmica



Foto: CBN SP no Flickr em Creative Commons

Para quem não é de São Paulo e pode não entender (como eu não entendi de primeira ao ouvir o termo por aqui), fretados são como são chamados os ônibus alugados com valor mensal (ou anual), utilizados como transporte de trabalhadores em linhas pré-estabelecidas. Funcionam como transporte escolar, você paga um valor por mês e tem o direito de pegar aquele ônibus todos os dias, no horário estabelecido, nos pontos estabelecidos.

Esse mês teve início uma restrição imposta pelo prefeito Kassab a esses veículos. Uma regulamentação estabelece uma quantidade limitada de veículos, reduz as linhas (roteiros) e define pontos de parada e circulação, também reduzidos. A justificativa da restrição é melhorar o trânsito caótico da cidade, mas isso tem gerado muita controvérsia.

Tiro no pé

Ao contrário do pretendido, a nova configuração dos fretados está gerando muitos transtornos à população. A limitação de pontos de parada fez com que muitas pessoas deixassem de utilizar o modelo de transporte e passasse a utilizar o transporte público – que, diga-se de passagem, não estava preparado para absorver tamanho crescimento. Outras tantas decidiram, pelo motivo citado anteriormente, ir com veículo próprio para o trabalho, aumentando assim o número de carros no já caótico trânsito de São Paulo. As que mantiveram o transporte fretado, porque as alterações não afetaram muito suas paradas, acumulam-se em filas intermináveis de pessoas e ônibus nos pontos regulamentados.

Desde o primeiro dia de restrições, passageiros e proprietários de fretados se ajudam nos protestos, além das disputas judiciais entre classes desses trabalhadores e a prefeitura. Liminares são concedidas e derrubadas horas depois, recorrem, derrubam… Enquanto isso o trânsito, que deveria ter melhorado, continua a mesma porcaria de sempre. Eu vejo todos os dias, de dentro do trem que passa paralelo à Marginal Pinheiros, os carros disputando os espaços na pista. Inutilmente.

A decisão, ao meu ver, foi um belo de um tiro no próprio pé. Os fretados, ao contrário do que se alega, AJUDAM a melhorar o trânsito. Eles oferecem um transporte confortável, seguro e pontual, para a pessoa chegar em seu trabalho e retornar ao fim do dia. Ao contrário das opções coletivas disponíveis e evitando que mais de 40 veículos privados (por cada ônibus) estejam no trânsito.

Mapa de restrição dos fretados (Zona Máxima de Restrição ao Fretamento)

Infográfico: G1

One thought on “Fretados em São Paulo – restrição e polêmica

Fazer um comentário